Início » Todos os posts » Sexualidade » Virgindade masculina existe? Tire suas dúvidas aqui

Virgindade masculina existe? Tire suas dúvidas aqui

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Se, para as meninas, romper o hímen é perder a virgindade, para os garotos é o que, então? Penetrar a vagina? E se o rapaz receber sexo oral, deixa de ser virgem?

E se a relação for homossexual, quando quem perde o quê? Complexo isso, hein? A virgindade masculina levanta uma série de questões, inclusive sobre si própria. Vamos à elas!

Todo mundo já está careca de saber que quando o boy entra na puberdade, os pais ligam uma espécie de relógio imaginário contando o tempo para que o inevitável aconteça: a perda da virgindade.

Mais cedo ou mais tarde, o menino vai avançar o sinal com suas namoradinhas, peguetes, ficantes, seja lá qual for o nome…

Em geral, os meninos de hoje não precisam que o pai ou o amigo mais velho os levem aos lugares onde, antigamente, damas devidamente capacitadas davam-lhes as boas-vindas ao mundo adulto, pelo menos no quesito sexual.

virgindade-masculina

Para eles, na adolescência ou no final da puberdade, virgindade é quase como uma “doença” que precisa ser curada custe o que custar. Do contrário, o garoto vira motivo de gozação entre os amigos.

Rola uma certa discriminação – e aquela “brincadeirinha” de chamar o virgem de homossexual, como se isso fosse palavrão, ofensa. Afinal de contas, rapaz que não vira logo o garanhão da turma não gosta de menina ou tem problema na cabeça. Na opinião de certas pessoas, é claro.

Apesar de existirem controvérsias sobre o assunto, é um consenso que perder a virgindade é ter uma relação sexual. Só que há tipos e tipos de virgindade: de boca, de vagina, de ânus…

A ideia principal de relação sexual é, em poucas palavras, o “ato de juntar os órgãos sexuais”, originalmente para o gameta masculino encontrar o feminino.

Contudo, nem sempre a função é reprodutiva. Mas, para fecundar o óvulo ou não, a relação sexual humana é dividida em preliminares e o ato sexual propriamente dito.

Não preciso explicar para que serve a introdução ao coito. Acho interessante apenas lembrar que nela o sexo já está acontecendo.

E ele pode ser compreendido de várias formas, com ou sem penetração. Isto é, sexo vaginal, masturbação a dois, anal, oral, etc. O que não muda é a busca pela satisfação, o orgasmo.

Concluindo este ponto: sexo não penetrativo não deixa de ser sexo. Da mesma maneira como sexo oral também é sexo e requer proteção para evitar doenças.

Faz tempo que não transamos somente para reproduzir e dar continuidade à nossa espécie. Praticamos por prazer e/ou para mostrar o amor e a intimidade emocional. Relação sexual é tudo isso e quando ocorre quer dizer que a pessoa perdeu a virgindade.

O que nos leva a crer que virgindade masculina existe, mas, assim como a feminina, não está unicamente ligada ao momento pênis-penetra-vagina.

É isso aí! Espero ter ajudado a esclarecer a questão…

Até mais!


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Fazer comentário

Clique aqui para postar um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *