Início » Doenças » Secura vaginal: Causas, tratamentos e como prevenir

Secura vaginal: Causas, tratamentos e como prevenir

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A falta de informação ou mesmo o puritanismo e a dificuldade de falar sobre assuntos relacionados ao sexo, tem feito com que milhares de mulheres sofram em silêncio com um problema cada vez mais recorrente, a secura vaginal.

Secura vaginal

Uma pesquisa demonstrou que cerca de 5% das mulheres sofrem com este problema que torna o sexo desconfortável e doloroso, mas o mais alarmante é que 90% delas não procuram ajuda e nem relatam a secura ao ginecologista.

Neste post abordaremos este tema tão delicado para as mulheres, esclarecendo as causas da doença, tratamentos e formas de prevenção. Confira.

O que é secura vaginal?

A secura vaginal caracteriza-se pela falta ou ausência da umidificação natural da vagina.

Quando estimulado, o corpo da mulher produz um muco transparente que visa proteger as paredes vaginais, mantendo a sua elasticidade e textura macia, preparando o órgão para o sexo. Esse é o principal sinal de que a mulher está excitada.

No entanto, se quando excitada a vagina não produz essa lubrificação, a mulher deve procurar ajuda médica, pois pode estar sofrendo de secura vaginal.

Esse ressecamento pode causar ardência, coceira e principalmente desconforto durante as relações sexuais, devido ao atrito da penetração, decorrente da falta de lubrificação na mulher.

Além disso, mulheres com secura vaginal estão mais propensas a contrair infecções e inflamações na região íntima, pois a produção de corrimento para umidificar a vagina é uma maneira natural de evitar a contaminação por bactérias.

Quais são as causas do problema?

A secura vaginal tem causas múltiplas e pode estar relacionada a diversos fatores:

  • Estresse, ansiedade, cansaço e outros fatores emocionais que diminuem a libido da mulher, prejudicando o processo de excitação e umidificação da vagina;
  • Gravidez, principalmente no período inicial, devido às diferentes mudanças no corpo da mulher e alterações hormonais características da gestação que prejudicam a lubrificação natural;
  • Menopausa, devido a diminuição de estrogênio característica dessa fase, que faz com que as paredes da vagina fiquem mais finas, sensíveis e ressecadas;
  • Distúrbios hormonais, principalmente os femininos, como estrogênio e progesterona e distúrbios do ovário;
  • Período de amamentação;
  • Infecções vaginais;
  • Higienização excessiva das partes íntimas;
  • Uso de cigarro, bebidas alcóolicas e outras drogas;
  • Uso de alguns medicamentos, como antidepressivos;
  • Ausência ou escassez de relações sexuais por um longo período.

Existe tratamento?

Sim. Felizmente, existem diversos tipos de tratamento para a secura vaginal e que podem tratar as causas da doença e também amenizar seus sintomas.

O simples uso de lubrificantes já pode diminuir bastante o desconforto durante as relações sexuais. Prefira os lubrificantes à base de silicone ou água e que contenham em sua fórmula substâncias como ácido hialurônico, vitamina PP e glicerol, pois estas tem a capacidade não só de lubrificar a vagina como também reidratá-la.

Outra opção são os tratamentos hormonais com estrógenos sob a forma de pílula, cremes, supositórios ou gel. No entanto, atualmente sabe-se que terapias hormonais com estrogênio podem aumentar a suscetibilidade ao câncer, sobretudo, o de mama.

A fitoterapia também pode trazer benefícios no tratamento da secura vaginal graças a algumas plantas ricas em fitoestrógenos, substâncias que tem a capacidade de ativar a hidratação natural da vagina. São elas a sálvia, linho e erva-de-são cristovão.

É possível prevenir?

Sim. Mudando alguns hábitos na sua rotina é possível evitar a secura vaginal. Confira:

  • Limite a higienização íntima a duas vezes por dia a fim de manter o equilíbrio da flora vaginal;
  • Prefira usar sabonetes com pH neutro na limpeza íntima para que não afete a acidez natural da vagina;
  • Evite absorventes internos e tampões, que em longo prazo podem contribuir para a secura vaginal;
  • Mantenha relações sexuais regularmente para melhorar a circulação sanguínea nos órgãos genitais;
  • Busque formas de reduzir o estresse e a ansiedade;
  • Utilize cremes e géis vaginais específicos para reidratar a área.

É importante ressaltar que a secura vaginal tem solução e pode ser tratada de forma simples. Caso você sofra com algum desses sintomas, não hesite em procurar um ginecologista e relatar o problema, assim, ele poderá indicar qual o melhor tratamento para você. O que não vale é ter uma vida sexual insatisfatória, com dor e sem prazer. Afinal, ao tratar o problema, você poderá ter uma vida sexual mais ativa e feliz.

Você já conhecia a secura vaginal? Já sentiu algum incômodo relacionado ao ressecamento da região íntima? Compartilhe as suas experiências nos comentários.


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Fazer comentário

Clique aqui para postar um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

História de amor

Acompanhe nossas dicas!