Início » Todos os posts » Sexualidade » Masturbação feminina: confira dicas e cuidados para garantir o prazer

Masturbação feminina: confira dicas e cuidados para garantir o prazer

Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Estamos em 2016 e ainda rola um certo tabu sobre a mulher tocar o próprio corpo e sentir prazer com isso. Parece que a ainda é “normal” masturbação ser coisa de menino. E que só na vida adulta outra pessoa virá descobrir o que nos excita, em nós mesmas, preciso frisar.

É como se cada mulher tivesse um roteiro e uma chave para o tesouro escondido. Mas somente um homem (ou outra mulher, se for o caso) poderá ter acesso ao mapa e à mina.

E mais: que depois de revelado o mistério, ele continuaria sendo administrado por outra pessoa. Ou seja, sozinhas não damos conta nem do nosso próprio tesão ou da diversão solitária à qual qualquer um tem direito quando der na telha. Ou quando não tiver outro jeito.

Porém, tem um detalhe – aliás, dois, e importantes – que não têm a ver com feminismo ou nada parecido.

O primeiro é que masturbação faz parte, ou deveria fazer, do desenvolvimento sexual de TO-DOS os seres humanos. Ela não tem um rótulo “válido exclusivamente para uso masculino”.

Outro ponto – que completa o primeiro – é que, dizem os especialistas, conhecendo melhor o próprio corpo é possível curtir muito mais o sexo, dar e receber prazer, dizer a outro o que gosta e o que não gosta, e por aí vai…

Foto: Twitter/Reprodução
Foto: Twitter/Reprodução

Mulher e masturbação: saiba mais…

Mas parece que as coisas estão mudando, pelo menos lá no Reino Unido. Um estudo feito para uma marca de lingerie com 1.000 mulheres entre 18 e 30 anos revelou que 92% delas se masturbam, contribuindo para acabar com o imaginário popular avesso à masturbação feminina.

O que já é um bom caminho, pois os paradigmas que cercam a atividade são quebrados a partir do momento no qual ela passa a ser conhecida, sem preconceitos.

Lembrando, também, que se não relaxar, se estiver com a cabeça cheia de ideias negativas a respeito de algo, não dá para aproveitar nada, sozinha ou acompanhada, concorda?

Pesquisando sobre o tema, é possível encontrar justificativas um tanto quanto exóticas, para não dizer bizarras, para a masturbação feminina não acontecer. Dizem até que o autoestímulo sexual poderia fazer mal à saúde ou alteraria a anatomia do corpo. Oi???

Não precisa ser médico para saber que não é assim, ok? Masturbação é uma maneira de conhecer melhor o próprio corpo e as partes que provocam mais excitação. É como uma preparação para a prática sexual.

A frequência da masturbação feminina é definida pela pessoa. Se ela quer fazer todo dia, tudo bem. O importante é ficar à vontade ao desfrutar dos momentos e não prejudicar outras atividades do dia a dia. Não pode virar um tipo de vício, algo que causa dependência.

Certo, mas isso vale para os meninos também; para qualquer pessoa que possa vir a ficar tão fissurada por sexo (mesmo o solitário) a ponto de precisar de tratamento psicológico.

Bem, eu, particularmente, nunca ouvi falar de nenhuma mulher que tivesse ficado viciada em “siririca” – para quem não conhece, é um dos nomes populares da masturbação feminina.

Acho também que ninguém vai sair por aí com uma placa dizendo “sou viciada em masturbação”. A brincadeira aqui é mais para descontrair e fazer algumas mulheres reverem seus conceitos sobre o tema do que ter um parágrafo com embasamento estatístico/científico, beleza?

Aproveitando, deixo algumas dicas práticas para garantir a segurança e o sucesso na masturbação:

• Use materiais próprios para essa função, feitos de acordo com a anatomia feminina. Nada de garrafas, legumes, frutas ou outros itens que a gente vê sendo retirados das pessoas nos seriados médicos.

Se tiver vergonha de entrar em uma loja que vende vibradores e coisas do gênero, existem sites que entregam brinquedinhos eróticos com toda a discrição.

• Mantenha a higiene dos objetos, mãos e genitais em dia, para evitar infecções por vírus e bactérias.

• Saiba que fluídos corporais podem passar doenças sexualmente transmissíveis, ou seja, não precisa penetração de um pênis para ocorrer o contágio. Isso para o caso de você usar objetos alheios e/ou praticar a masturbação acompanhada.

Tomando esses cuidados básicos, a masturbação se tornará uma prática prazerosa e de autoconhecimento. Porque mulher também se masturba, sim, senhora!

Até o próximo artigo…


Compartilhe!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
História de amor

Acompanhe nossas dicas!