Início » Todos os posts » Saúde » Dispareunia: dor na relação sexual afeta mais as mulheres; veja causas e tratamento

Dispareunia: dor na relação sexual afeta mais as mulheres; veja causas e tratamento

Compartilhe!
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
    1
    Share

Dispareunia

Dispareunia é um transtorno em que a pessoa apresenta dor genital ao fazer sexo. Pode ocorrer em homens, mas é comum nas mulheres, podendo atingir até 50% das que têm vida sexual ativa. Ou seja, o problema é mais frequente do que imaginamos.

Geralmente, surge durante o ato, porém, a dispareunia também ocorre antes e depois do coito. Um incômodo capaz de levar à rejeição do sexo, trazendo diversos prejuízos aos relacionamentos.

Não é raro a dispareunia provocar diminuição do desejo sexual em diversos níveis.

Os relatos femininos sobre o transtorno incluem variações, da sensação superficial à dor profunda. Já a intensidade pode ir do leve desconforto até uma dor aguda forte.

Esta condição, portanto, divide-se em superficial e profunda. A primeira acontece na entrada da vagina, o que leva o médico a suspeitar de alguma infecção ginecológica vulvovaginal, como a candidíase, causada pelo fungo Candida albicans.

No caso da dor profunda, normalmente é consequência da posição durante o sexo ou das chamadas aderências entre os órgãos internos.

Lembrando que aderências são comuns depois de cirurgias no abdômen ou devido complicações de doenças inflamatórias pélvicas.

O ideal é marcar logo uma consulta para investigar melhor este sintoma.

Um detalhe importante: a dispaurenia é um tipo de dor que provoca sofrimento ou dificuldade nas interações pessoais. Não deve ser confundida com a falta de lubrificação na vagina, por exemplo.

O transtorno também não é causado exclusivamente pelas contrações involuntárias dos músculos da vagina (vaginismo), pelos efeitos de remédios ou por ocorrências médicas.

Para a dispareunia ser diagnosticada, é preciso levar em conta a presença de vários fatores, e não uma causa isolada. Este distúrbio pode ter origem física ou psicológica – em certos casos, ambas.

Confira os fatores orgânicos e psíquicos capazes de levar à dispaurenia

  • Dificuldade de enxergar a sexualidade de forma saudável
  • Educação altamente repressora
  • Falta de desejo sexual pelo parceiro (a)
  • Falta de informação
  • Gestação – receio de machucar o bebê
  • Infecções genitais (candidíase, tricomoníase etc.)
  • Doenças de pele que afetam os órgãos genitais (foliculite, psoríase e pediculose púbica (‘chato’)
  • Doenças sexualmente transmissíveis (cancro mole, granuloma inguinal, entre outras)
  • Infecção ou irritação do clitóris
  • Doenças no ânus
  • Infecção urinária
  • Nos homens: problemas na próstata ou nos testículos, fimose, doenças de pele e herpes genital
  • Medos e tabus irracionais ligados ao sexo
  • Rigidez nas crenças morais e religiosas
  • Sentimento de culpa relacionado à vida sexual
  • Traumas infantis

Para haver a excitação sexual, tristeza, preocupação ou qualquer outro sentimento negativo não pode existir. Uma relação na qual a mulher está assustada ou transtornada por algum motivo (interno ou externo) dificulta a lubrificação vaginal e provoca desconforto.

Quando a pessoa tem sentimentos conflituosos no que diz respeito ao sexo e não é estimulada adequadamente, também não tem condições de alcançar uma boa excitação. Sem lubrificação, a penetração será dolorosa e traumática.

Resultado: o sexo perde a qualidade, o casal fica desgastado e os problemas no relacionamento como um todo começam a surgir. A situação tende a piorar, pois o medo de sentir dor outra vez leva a mulher a evitar o encontro sexual com o companheiro.

Está formado um círculo vicioso de dor, medo, tensão e mais dor.

Se você acha que tem dispareunia, consulte seu médico o quanto antes para analisar o seu caso. Depois de um levantamento de fatores físicos e psicológicos, o profissional terá condições de confirmar o que está prejudicando sua vida sexual e afetiva.

Caso julgue necessário, o médico encaminhará você a outros especialistas. Entre eles, um terapeuta sexual ou psicoterapeuta. Afinal, dispareunia é um problema que necessita de olhar multidisciplinar para que seja contornado.

A síndrome é psicofisiológica, ou seja, engloba uma variedade de aspectos do corpo e da mente. Não basta tratar apenas o organismo ou o ser psíquico, mas os dois ao mesmo tempo.

Cuide-se! Até o próximo post…


Compartilhe!
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
    1
    Share
História de amor

Acompanhe nossas dicas!